Apresentação


AUTOAVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO – UFES
A Política de Graduação da UFES vem se pautando nos últimos anos pela expansão do número de estudantes e de cursos presenciais e/ou a distância, tanto nos campi da capital quanto do interior. Também, mostra-se atenta aos processos de inclusão social e étnico-racial (acesso de estudantes oriundos da escola pública e, mais recentemente, pretos, pardos e indígenas), indicando nossa sintonia com as demandas sociais emergentes. Paralelamente, tem colocado no centro da discussão, a questão da qualidade da educação ofertada a fim de caracterizar a UFES não somente como uma universidade inclusiva e socialmente responsável, mas de excelência na graduação.
 
Mas, construir a melhoria constante de nossos cursos de graduação passa não somente por melhorias estruturais, de formação de pessoal (docente e servidor), de flexibilidade, mobilidade e acessibilidade aos currículos, mas necessariamente, por se proceder a autoavaliação de cada um desses cursos feita, primeiramente, por seus próprios membros. O objetivo nesse processo é obter consciência do real estágio em que se encontra o curso (avanços, dificuldades, necessidades e perspectivas) a fim de se vislumbrar caminhos e se estabelecer metas exequíveis, dimensionadas temporalmente e assumidas individual e coletivamente.
 
A proposição que ora apresentamos pretende, além de promover o aperfeiçoamento da Política de Graduação da UFES, dar continuidade ao processo de discussão e debate sobre a avaliação realizado sob a coordenação do Departamento de Desenvolvimento Pedagógico da Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), ainda no ano de 2011.
 
Na oportunidade, entendeu-se que os Colegiados de cursos de graduação deveriam dispor de algum tempo para implantar as suas Comissões Próprias de Avaliação de Cursos (CPAC) como passo fundamental em direção à autoavaliação. Também ficou acordado que os Colegiados e as CPACs que tivessem condições poderiam implantar processos de avaliação tendo por base seus Projetos Pedagógicos de Cursos (PPC), os documentos institucionais (Plano de Desenvolvimento Institucional/PDI, Projeto Pedagógico Institucional/PPI, Estatuto e Regimento) e as exigências da avaliação de cursos prevista pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). Desde então, os cursos empreenderam a instalação de suas CPACs e, alguns, conseguiram realizar avaliações. No momento atual, dispomos na UFES de mais uma estrutura e atores no âmbito dos cursos de graduação que deve ser incorporada a este processo que é o Núcleo Docente Estruturante (NDE).
 
Reafirmamos que é no bojo da preocupação com a qualidade da educação, com o planejamento do crescimento e com o papel futuro da UFES no curto, médio e longo prazo, que o debate sobre a avaliação ganha corpo. Porém, não se desconecta do movimento mais geral da sociedade e indica comprometimento com a qualidade da educação, ponto central da Política de Graduação da UFES.
 
A autoavaliação dos cursos de graduação se coloca no âmbito da Autoavaliação Institucional (AAI) e se caracteriza como processo de revisão e autoanálise que o curso faz de si, com e para seus sujeitos, onde produz um autorretrato. Esse processo ainda se constitui pedagógico e autoformativo, pois serve à aprendizagem institucional e pessoal e, por fim, lança as bases da crítica que podem oferecer ferramentas à superação de limites e à transformação do curso com a criação de possibilidades de avanço. Ou seja: avaliar para aprender e avançar.
 
O avaliar corresponde à primeira fase de processo geral do curso que busca a compreensão de seu estado atual, ou seja, tem características diagnósticas de autoconhecimento. É quando o curso elabora seu retrato e como um todo e em cada uma de suas partes toma consciência de suas realizações, lacunas, necessidades e possibilidades. Tem característica descritivo-qualitativa, mas se apoia no aspecto quantitativo. Se relaciona diretamente com a missão, os princípios, os objetivos e as metas institucionais expressas no PDI que o PPC incorporou; corresponde ao cotejamento crítico entre o idealizado e o realizado e, portanto, é tanto mais efetiva quanto mais se têm claros e explícitos princípios, objetivos, metas e missão.
 
O aprender se expressa a partir da análise qualitativa que se faz ética e política, pois se ancora na reflexão crítica e no julgamento de valor dos pontos fortes e fracos encontrados. É quando a comunidade acadêmica olha seu retrato e se reconhece ou não nele e decide pela alteração ou permanência de algo – adquire autoconsciência.
 
O momento de avançar surge como decorrência da aprendizagem que se conseguiu. A perspectiva de avançar surge na medida da profundidade e da efetividade do próprio processo de avaliação. Significa que as análises diagnósticas foram precisas e que as reflexões sobre os achados do primeiro momento foram aprofundadas e suficientes para vislumbrar caminhos aos quais todos/as possam comprometer-se com suas parcelas de responsabilidade.
 
1 - Princípios Orientadores da Autoavaliação de Cursos de Graduação da UFES:
a.     ocorrer articulada à autoavaliação institucional;
b.     integrar as naturezas formativa e de regulação numa perspectiva de globalidade;
c.    deter-se sobre a formação acadêmica e profissional;  
d.    estabelecer um processo dialógico;
e.    observar as dimensões quantitativas e qualitativas;
f.      identificar potencialidades e fragilidades, e destacar pontos fortes e fracos no processo formativo;e,
g.    requerer competências e habilidades dos atores sociais envolvidos neste processo de construção coletiva.
 
2 - Dimensões da Avaliação de Cursos:
a.    organização didático-pedagógica;
b.    corpo docente, corpo discente e corpo técnico-administrativo;
c.    infraestrutura; e,
d.    acompanhamento de egressos.
 
Nesse contexto, tendo em vista a organicidade no desenvolvimento da autoavaliação de cursos que pressupõe a compatibilização de ações entre as estruturas internas ao curso (Coordenação de Curso, NDE e CPAC), bem como a sinergia com outras instâncias da UFES, especialmente a Pró-Reitoria de Graduação, procedemos à elaboração do Caderno de Avaliação de Cursos de Graduação da UFES, como contribuição para subsidiar o processo de autoavaliação que se configura na dinâmica da cada curso e de cada Centro de Ensino.
 
O Caderno de Avaliação dos Cursos de Graduação que ora lhes disponibilizamos reúne um conjunto de relatórios contendo indicadores sobre o ensino de graduação ao longo dos últimos anos. Estes relatórios foram produzidos a partir de diferentes fontes e dão visibilidade às informações que podem subsidiar o acompanhamento, a tomada de decisões e as ações de autoavaliação em desenvolvimento e/ou a serem implementadas no âmbito dos cursos.
 
A PROGRAD se integra aos Colegiados de cursos, CPACs e NDEs, em um primeiro momento da autoavaliação dos cursos de graduação, no trabalho de análise dos relatórios contidos nos referidos Cadernos, considerando a identificação de situações-problema e de possíveis respostas, a fim de se estabelecer colaborativamente metas, responsabilidades e prazos para enfrentamento às mesmas situações-problema.
 
O Caderno de Avaliação dos Cursos de Graduação que apresentamos para orientar as ações de autoavaliação organiza-se a partir dos seguintes relatórios:
 
1) Relatório de Indicadores de Desempenho: tendo como fonte o Sistema de Informação para o Ensino (SIE) apresenta dados estatísticos do período de 2008 a 2011 dos indicadores ingresso, matrícula, desligamento, integralização curricular, evasão, reprovação, taxa de sucesso e conceito no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE).
 
2) Relatório de Avaliação UFES 2012/1: resulta de questionário respondido pelos estudantes de cada curso na matrícula do primeiro semestre de 2012 quanto às dimensões organização didático-pedagógica dos cursos, corpo docente, corpo discente, corpo técnico-administrativo e infraestrutura.
 
3) Relatórios de Reprovação por Disciplina: consiste em relatórios semestrais do curso gerado no SIE em que se visualiza a relação entre matrícula e reprovação em disciplinas no período de 2008 a 2011. Estes relatórios complementam a leitura dos indicadores Reprovação presente no relatório 1.
 
4) Relatório de Desempenho de Estudantes Optantes pelo Sistema de Reserva de Vagas: consiste do resultado do trabalhos de Comissão Especial designada para produzir relatórios sobre o coeficiente de rendimentos dos estudantes optantes pelo sistema de reserva de vagas no período de 2008 a 2011.
 
5) Relatório de Acompanhamento de Egressos: reúne informações referentes aos egressos do ano de 2011/2 obtidas no âmbito do Programa de Acompanhamento do Estudante Egresso/PAEEg, em fase inicial de desenvolvimento pela PROGRAD.
 
Nesses termos, o Caderno de Avaliação dos Cursos de Graduação se apresenta como instrumento que busca provocar cada curso de graduação da UFES para a reflexão sobre seus fazeres por meio das informações socializadas. Assim, no espírito das discussões em torno do PDI para o período 2013-2017, o Caderno é um instrumento que subsidiará as instâncias envolvidas com os cursos para acompanhar, planejar e implementar ações destinadas à qualificação do ensino superior ofertado pela UFES.
 
Com isso, no contexto das discussões sobre a avaliação institucional, nos inserimos no desafio de enfrentar as problemáticas que têm fragilizado a pretendida qualidade na oferta dos cursos de graduação e de consolidar as experiências que têm qualificado a formação dos profissionais em resposta aos anseios e necessidades da sociedade.
 
 

 

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910